Agenda do Samba & Choro

Primeiras fotos da festa da Agenda em São Paulo

Google
Web samba-choro.com.br
 Página principal » Notícias » Notícias antigas

Receba grátis nosso informativo:


39907 assinantes
Exemplo | Cancelar | Trocar email Notícias enviadas às terças e sextas.



Assine em um leitor de notícias RSS


Se você gosta de nosso trabalho, nos apóie se tornando um Amigo do Samba-Choro.

Por Paulo Eduardo Neves
Publicada em 4 de Novembro de 2003 
Assunto: Novidades neste Sítio

  ampliar Christiane de Assis Pacheco/2003  
Xangô da Mangueira
Xangô da Mangueira
Nossa primeira festa em São Paulo foi mágica. No agradabilíssimo pátio do CUCA, espaço projetado por Mário de Andrade, reuniu-se grandes nomes da música de São Paulo e do Brasil. Foram mais de 10 horas de música de primeira, com o mais alto dos astrais.

Se você tiver curiosidade de ver quem apareceu por lá para participar da festa, confira já as primeiras fotos da festa em Sampa. Agradecimentos à Christiane, que providenciou a imediata publicação das fotos. Em breve teremos mais fotos e iremos burilando a exposição.

Vários comentários de nossos leitores sobre a festa já foram feitos em outras notícias, estou tomando a liberdade e colocando-os todos junto a esta notícia. Confira e também faça o seu.

Aproveito para agradecer mais uma vez aos grandes responsáveis festa em Sampa: Fernando Szegeri, Julio Velloso, Roberta Valente e ao pessoal do CUCA. Uma das coisas mais legais de fazer este sítio, é a oportunidade de conhecer tanta gente bacana e valoriza as mesmas coisas. A única coisa chata é que este pessoal nos deixou com um problema sério: a festa carioca terá a responsabilidade de ser tão boa quanto a de São Paulo. Não será fácil.

Voltar para Manchetes de Novembro de 2003

Enviar por email | Imprimir

Comentários dos leitores

Pensei que fosse encontrar um galpão, meio barulhento, cheio de gente, que seria uma muvuca infernal, que talvez eu não encontrasse meus amigos.... sei lá. Parece que vivendo numa cidade grande a gente se acostuma com esses panoramas caóticos.
Enfim, chego ao espaço, que era super bonito. Parecia uma escola, com um pátio interno ao ar livre. Aquelas construções coloniais bonitas! Com jardim e tudo! Muitas mesas para que as pessoas se acomodem e curtam a música. Pessoas bonitas, ambiente arejado, confortável, por não ser absurdamente grande, uma beleza!
A roda de choro acabava de acabar. Cumprimentei os amigos. Já de cara os encontrei. Vários. Queridos. Fiquei feliz. Fui procurar a Eugenia, editora carioca do boletim que estaria em SP para a festa. Nos encontramos. Nos conhecemos pessoalmente, já que o nosso contato até então era só virtual. Ela é uma graça. Menina doce, leve, divertida, bem humorada. Um feliz encontro! Nos alegramos muito e ficamos juntas durante toda a festa! A roda de samba começou por volta das cinco da tarde. Roda comandada pelo Fernando e pela Railidia. Belo repertório. A animação tomou conta do espaço. Tudo com muita alegria, muita paz, tranqüilidade. Sem brigas, agressões, bebedeiras inconvenientes, acontecimentos esperados numa festa desse porte. A roda foi esquentando e as pessoas ali em pé, cantando junto, se emocionando (vi diversas pessoas chorando ao som da roda). Foram chegando Beth Carvalho, grande presença, animada, simpática, querida pelo público. Tantinho da Ilha, Xangô da Mangueira, Luis Carlos da Vila, meu querido compositor. Como eu gosto desse cara! Os meninos do Quinteto em Branco e Preto também participaram da roda, com a contribuição de sambas maravilhosos da Comunidade Samba da Vela. O som foi se ajeitando com o tempo. Eu diria que as vozes estavam baixas, que a roda tinha muita percussão e que as cordas tiveram pouco espaço. Mas isso são detalhes técnicos, que a emoção deixa pra lá. Canjas como as do Ney Mesquita, Borba, Carminha Queiros, coloriram a roda. A iluminação do espaço era genial. Refletores coloridos, muito coloridos, em meio a luzes brancas, traduziram na pele de cada um de nós a beleza que é o movimento musical na alma da gente. Para comer havia churrasco e mini-pizzas, opção deliciosa para os não adeptos da carne. Uma delícia. Feitas na hora, quentinhas, com o queijo derretido! Hum... comi algumas!
Para beber: cerveja, cachaça, água e refrigerante. Tudo muito bem organizado. Sem filas estratosféricas, sem demora no atendimento, nem empurra-empurra. Nada disso. E tudo a preços normais. Sem exageros. Sem falar que a entrada era franca. Festa pra todo mundo. MESMO! Ah! Detalhe importantíssimo: Os banheiros eram todos muito limpos e sempre vazios. Ótimo! Fazer xixi fora de casa nunca foi tão fácil e confortável. A cordialidade reinava em cada um dos que trabalhavam na festa. Talvez pela alegria de estar ali. Em meio a tanta gente bonita, talentosa, generosa. Uma aula de música e alto-astral. A noite foi chegando, a garoa digna de SP chegou mas o samba continuou animadíssimo. Pessoas dançando. Crianças. Gente curtindo a música. Eu tive lembranças deliciosas, outras nem tanto, alimentei expectativas gostosas, encontrei pessoas que eu gosto muito e que nem sempre vejo, conheci novos sambas, novas pessoas. Ouvi músicas lindas, me diverti. Dei risada, dancei, cantei um monte. Uma verdadeira festa! Pra comemorar mesmo! A existência desse movimento que nos alimenta tanto. Quem não fica esperando o Samba e Choro chegar toda semana por e-mail com as novidades? Sempre tão informativo, tão aberto para a discussão, tão bem feito. Por pessoas interessantes....
Olha, escrevo tudo isto e gostaria de fazer uma ressalva: Sou uma pessoa muito crítica, muito exigente, muito chata. Quando eu não gosto ponho a boca no trombone. De verdade. Quem me conhece melhor sabe! Então, escrevo este texto porque é uma necessidade minha. De parabenizar a todos do Samba e Choro. Paulo Eduardo Neves, que é uma simpatia. Eugenia, grande menina, Roberta Valente, amiga do peito e a todos os outros envolvidos que certamente eu não sei o nome. Parabéns! Por fazer chegar a arte na vida das pessoas de uma maneira tão bonita, com uma festa tão maravilhosa. Por compartilhar e proporcionar aos amantes da boa música, momentos tão especiais como o de ontem. Parabéns, Agenda do Samba e Choro!
Mariana Laura
2 de Novembro de 2003 #

Ah! E obrigada, claro!
Mariana Laura
2 de Novembro de 2003 #

Olha, quando Xangô cantou:
"...se estou errado me perdoa
eu sou o samba em pessoa
você já pensou
quando a idade chegar
e eu não puder mais sambar..."
foi o momento musical mais emocionante da festa. Várias pessoas derramaram lágrimas, inclusive eu.
Abraço a todos.
Alessandro Penezzi
2 de Novembro de 2003 #

Mariana, acho que você descreveu muito bem a festa, foi isso mesmo. Foi impecável! Parabéns, Fernando, Júlio, Paulo, Cris, Seu José (o responsável pelo bar), Teresa e cia (do espaço Cuca), Filipe (do som - um amor, prestativo, educado, cheio de boa vontade). Eu estou leve, esta festa foi uma glória.
Roberta Cunha Valente
2 de Novembro de 2003 #

PARABENS PARA TODOS QUE ORGANIZOU, VOCÊS SÃO NOTA 10, ESPERO QUE VOCÊS CONTINUA ASSIM.
ABRAÇOS PARA TODOS, PRINCIPALMENTE PARA
O XANGÔ DA MANGUEIRA.

UM GRANDE ABRAÇO
PAULO RICARDO
PAULO RICARDO
2 de Novembro de 2003 #

Estou longe dessa vez, mas mando ao Paulo e a todos o abraço de quem nao esqueceu, e espera estar na pròxima.
Helion
3 de Novembro de 2003 #

Parabéns a todos do Agenda, foi o melhor festa de samba que já participei, não é em qualquer lugar que se pode cantar ao lado de nomes como, Beth Carvalho, Xangô, Tantinho e Nadinho da Ilha, Luiz Carlos, Murilão, Quinteto e muitos outros, como se estivesse no fundo de quintal de casa, este evento mostra que o SAMBA verdadeiro está firme e forte, um grande abraço para a todos da organização e principalmente para o Fernando e Railidia pelo astral.
Alex de Itaquera
ALEXSSANDRO DE SOUZA
3 de Novembro de 2003 #

Ai, a Mari escreveu tudo! :) (linda, também a-mei te conhecer!!!) Gente, a festa foi exatamente assim, pura alegria. Quando chegamos, por volta das 16 horas, ainda tinha pouca gente, daí eu pensei: "ai, será que vai melar?" Que nada, ao cair da noite já estava cheio o local, mas um cheio gostoso, sem apertamentos. Tudo funcionou: os músicos excepcionais, as participações especialíssimas (Mari, os nomes corretos são Tantinho da Mangueira e Nadinho da Ilha, ok?)...

Gostei muito de ouvir de novo os sambas do Quinteto/Samba da Vela. Alô pessoal do Quinteto, vem pra cá! Também fiquei muito feliz de rever o Murilão. P quem ñ sabe, ele é autor de "Minha Fé", que o Zeca gravou ("Eu tenho um santo padroeiro poderoso..."). O Murilão cantou vários sambas dele, todos muito bons. Também foi muito bom ouvir pela primeira vez as vozes dos ótimos cantores Nei Mesquita e Carminha Queiroz.

Adorei conhecer a Railídia, a Iara (aliás quem ainda não leu o livro da Iara, de samba para as crianças, não sabe o que tá perdendo!), o Daniel Brazil... Os maiores furões da festa: Eduardo Martins e Bruno Ribeiro. Domingo taí, hein? :)
Eugênia Rodrigues
3 de Novembro de 2003 #

SEM PALAVRAS!!!!
NÃO FALTOU ABSOLUTAMENTE NADA!!!

PAULO EDUARDO NEVES,

VAMOS COMEMORAR TODOS OS MESES O ANIVERSÁRIO DA AGENDA, COM FESTAS COMO A DE SÁBADO....
INSTITUIREMOS JÁ NO PRÓXIMO DIA PRIMEIRO, UMA FESTINHA, COM UMA HOMENAGEM A OUTRA PERSONALIDADE DO SAMBA....

O MAIS LEGAL DE TUDO, ERA O OLHAR A FELICIDADE ESTAMPADA NO ROSTO DE CADA UM DOS PRESENTES, AO TEREM O PRAZER DE VER NUMA SÓ RODA, TANTA GENTE BOA!!!

ME EMOCIONOU A VERSATILIDADE DE MURILÃO DA BOCA DO MATO, DENTRE OUTRAS FERAS QUE LÁ ESTIVERAM!!!

PARABENS EM LETRAS GARRAFAIS!!!!

MUITA SAÚDE A VC E A NOSSA AGENDA, PARA QUE POSSAMOS NO PROXIMO ANO FAZER ALGO NO MÍNIMO IGUAL, O QUE JÁ SERÁ UM FEITO SEM DÚVIDA MARAVILHOSO.

CONFESSO COM ABSOLUTA CERTEZA, TER SE TRATADO DE UM DOS MELHORES SAMBAS QUE JÁ FUI!!!

ME EMOCIONEI COM A HUMILDADE DE TODOS E A ALEGRIA DE PODER ESTAR PRESENTE!!!

QUE DEUS ABENÇOE A VC E A TODOS QUE NOS PROPORCIONARAM TÃO MAGNIFICO EVENTO!!!

AHHH, JAH DIVULGUEI AOS QUATRO VENTOS O SAMBA DE TODAS AS SEXTAS-FEIRAS NO CUCA!!!

UNE, PARABENS PELA INICIATIVA!!!

SE PUDESSE ESTARIA NO RIO SEMANA QUE VEM, SEM DÚVIDA...

" AH SE EU PUDESSE, E SE MEU DINHEIRO DESSE"....

JOÃO (GRANDÃO) DJALMA
JOÃO (GRANDÃO) DJALMA
3 de Novembro de 2003 #

Galera, parabéns pelo aniversário e pela festa. Foi maravilhosa!!!!!! Beijos a todos
Fernanda (Musa Traço de União)
3 de Novembro de 2003 #

Show!

Não preciso falar mais nada. Viajar com o pessoal da Agenda para São Paulo e conhecer tanta gente legal foi simplesmente tudo de bom.

Um grande abraço ao Paulo, Cris, Eugênia, Marcio e Dona Sônia, aos mestres Xangô, Tantinho e Nadinho da Ilha, e para toda essa galera de Sampa, especialmente para Cátia, Andrea e Ricardo.

Espero vê-los aqui no Rio no dia 09/11. Abraços,

Gilson
Gilson Cruz da Silva
3 de Novembro de 2003 #

Não poderia furtar-me de comentar sobre a grande festa de aniversário da agenda samba e choro, que contou com a presença de grandes nomes da nossa MPB, entre os quais o maravilhoso Xango da Mangueira. Confesso que foi um dos melhores shows de samba que já fui. É emocionante ver que apesar dessa midia tiranica, um site como o da agenda, consegue reunir tantas pessoas(ou melhor), militantes do samba.A agenda está de parabens! E Olha! ver e ouvir o Xango cantando foi de "arrebentar" o coração, simplesmente maravilho... que Deus lhe dê muitos anos de vida grande mestre.
CARLOS NORBERTO RIBEIRO
3 de Novembro de 2003 #

Só posso dizer uma coisa, fiquei muito triste por não ter ido.

Moro no Rio, mas estava em Campinas visitando meu irmão e ele estava todo empolgado, mas minha cunhada passou mal e acabamos não indo. Puxa, depois dos relatos acima me arrependi. E acho que meu irmão que já tinha ficado meio decepcionado vai ficar mais ainda.

Parabéns Paulo e a toda a organização. Aqui no Rio eu vou!
Laura Pimenta Marrocos
3 de Novembro de 2003 #

MARAVILHOOOOSO!!!
É A PALAVRA QUE RESUME O ESPETACULAR SHOW QUE VOCES NOS CONCEDERAM SABADO.
PARABENS A TODOS, PRINCIPALMENTE AO MESTRE XANGO, QUE EMOCIONOU, CANTOU E ENCANTOU TODOS QUE LA ESTAVAM.
BEIJOS A TODOS.
ERIKA DAMASCENO
3 de Novembro de 2003 #

INDESCRITÍVEL!!!
Levei três amigos meus e eles disseram que foi a melhor roda de samba que foram nos últimos dez anos!!
E olha que o pessoal tem crédito e quilometragem no samba!!
Ver Xangô, Naldinho, Beth e o pessoal de sampa, Borrão do Vai Vai, Santamaria, Murilão e a galera do meu Camisa Verde foi de chorar de emoção.
Acabei de enviar um e-mail aos meus amigos no RJ para não perderem no próximo domingo. Pena que eu não possa ir
Tem mais: eu sei que fazer um evento destes dá muito trabalho, mas poderíamos adaptar a idéia do João (Grandão) Djalma e fazer antes de outubro do ano que vem.
Vocês não vão deixar a gente um ano sem essa, certo?

Abraços e parabéns
P.S. Borrão véio, encontrar você na festa foi dez.
Saúde irmão!!
Amauri Jose Junqueira
3 de Novembro de 2003 #

Parabéns a todos os organizadores desta festa MARAVILHOSA!!! A do Rio o ano passado foi DIVINA e a de São Paulo não perdeu em nenhum aspecto.
Muito obrigada pelo presente. São Paulo realmente merece.
Janaina - Oscar's Bar
3 de Novembro de 2003 #

Salve o SAMBA de RAÍZ, Samba das VELHAS GUARDAS queridas que ostentamos e honramos. Parabéns à todos vocês da AGENDA pela maravilhosa festa de Sampa, parabéns Xangô que nos passou muita paz e energia, à Beth Carvalho, ao meu ilustre conterrâneo Alessandro Penezzi pela músicalidade singular, para todos da Velha Guarda que esteve presente, ao Murilão, ao pessoal do QBP e Samba da Vela, á galera dos Inimigos do Batente,enfim à todos presentes. Sempre achei que o samba tivesse muita força, mais lá tive a grande certeza que me faltava. Abraços à todos e que seja o primeiro de muitos aniversáriso que participarei!!!!!!!!!!!
Walter / Projeto 14 Sambas - Quilombola
4 de Novembro de 2003 #

Parabéns Paulo, Chris, Eugênia e a todos que trabalham neste sítio maravilhoso.
Flavio Rodrigues Santoro
4 de Novembro de 2003 #

Agendeiros de plantão

Como alguém já escreveu aí em cima, a festa, foi simplesmente espetacular, extrapolou minhas expectativas. Tive o prazer de conhecer visualmente a Roberta Cunha Valente e pessoalmente o Stanley. Levei dois amigos que também ficaram encantados. Conhecemos o Xangô
que foi simpaticíssimo. O Paulo eu vou conhecer um dia...

Saudações musicais do

Aurélio Prieto
Aurélio Prieto
4 de Novembro de 2003 #

Almeida? Como assim, Fernando, nosso indeletável guru é... Almeida?

:-)

Queria muito ter ido a Sampa festejar os 7 anos da Tribuna. O problema é que estou hospedando aqui em casa, há duas semanas, um grande chorão chamado Miguel. Ele não me perdoaria se eu viajasse. Mas, na próxima, Miguel vai estar mais grandinho, acho que ele me libera.

Parabéns ao Fernando, à Roberta, enfim, a todo o povo que fez a festa de Sampa. Acredito que samba e choro, mais do que em shows e discos, nasceram pra reinar em festas e botequins. Por isso é bom saber que a festa da Agenda tenha sido tão legal. Esperamos poder repetir a dose no próximo domingo, aqui no Rio.
Luís Filipe de Lima
4 de Novembro de 2003 #

Saudações a todos,
como já havia dito em comentário anterior, o pessoal de sampa não deixou a desejar né! Foi lindo, magnifíco, maravilhoso, a sensação de estar e fazer parte da agitação foi demais!Esperamos vocês ano que vem para a segunda comemoração, e por favor não nos decepcionem, nem pensem em nos furtar daqui para frente este prazer. Sucesso na comemoração do RJ.
Kary
Kary
4 de Novembro de 2003 #

Vencemos a grande, burocrática, e "burrocrática", Mídia!!! Dizer que a festa foi maravilhosa já virou redundância. Então preciso fortalecer o que encheu de lágrimas os meus olhos, e me fez dar uma abraço no Paulo Eduardo. Tive a nítida percepção da livre cultura popular vencendo a mediocridade imposta. Consegui sentir, em um espaço real, quantos amigos "virtuais" temos. Quanta gente gosta de música boa, e, principalmente, como nossa música é boa. Nosso povo crítico, amável e festeiro, merece dias como sábado. Isso, para mim, é o resumo da Agenda. Nossa Tribuna é um imenso clarão no meio de uma mata fechada pela grande imprensa, que insiste em pensar que o povo gosta de circo ruim. Gostamos é de coisa boa... Então o que era um boteco virtual se ampliou e virou um conjunto de coisas boas não só no imaginário... A Agenda conseguiu unir pessoas que talvez nunca se conheceriam, e que hj se abraçam, cantam, dançam, e valorizam a arte juntas. Impagável o que vcs fazem por nós e pela cultura brasileira. Não consigo dimensionar, mas tenham certeza que é muito. Parabéns a todos!!! :-)
Tatiane Marchesan Santos
4 de Novembro de 2003 #

Agora escrevo para parabenizar a Chris pelas fotos maravilhosas! Que menina atenta!

Ah, aproveito p mandar um recado para a LUCIA: Lucia, se vc ainda estiver a fim de pegar a van p o Rio, escreva p a Roberta Valente, é só clicar no envelope amarelo ao lado do nome dela.
Eugênia Rodrigues
4 de Novembro de 2003 #

Esse foi o melhor dia em que vi o verdadeiro samba xângo, luiz carlos da vila, beth carvalho e muitos outros sambistas extraordinarios nossa que dia inesquecivel,mas teve dois momentos que eu já mais esqucerei a hora que eu vi luis carlos da vila cantando na minha frente ne acreditei que era ele, e o outro momente foi quando o mestre xângo cantou no final "se eu estiver errado me perdoa eu sou o samba em pessoa" nossa quanse chorei que lindo o samba brasilero obrigado a vocêis do AGENDA DO SAMBA-CHORO vocês nos deram uma ótima surpresa que vai ficar marcado dentro de nós que amamos o samba obrigado e que voceis façam mais e mais feste iguais a estas estarei presnte em todas se eu tivesse dinheiro eu ia para o rio na outra festa lá ia ser ótimo tb mas fazer o que a verba é curta mas estou muito feliz por te conhecido compositores e sambistas ótimos até o murilâo da boca mato estava lá bebado mas estava bom obrigo e até a proximo aniversario do SAMBA-CHORO

AMOR AO SAMBA
adriano jose de moura
4 de Novembro de 2003 #

O samba tava quente no Cuca e lá pelas tantas eu disse pro Fernando: "- Ih! Não almocei, não jantei e nem comi nada até agora" . As tantas deviam ser mais ou menos uma hora da manhã. Lembrei do samba do Noel. "Malandro que não bebe, que não come, que não abandona o samba pois o samba mata a fome..."

Obrigada, Paulo Neves, Chris, Eugênia. A festa matou a nossa fome mas ainda não a nossa ânsia de nos expressarmos de forma tão brasileira. Ainda bem!

E o que dizer do Fernando que pareceu clonado em mil pessoas? pensou a festa, articulou, carregou mesa, cadeira, cantou, tocou, foi mestre de cerimônia. E sempre com uma palavra carinhosa para quem se aproximava. E uma lágrima nos olhos. Tem sido linda a tua procura, Fê! (Não sei se chorava ou sorria / era tanta alegria que a batida do meu coração se igualava ao compasso da harmonia / no mundo da fantasia eu fui rei por um dia...)

Roberta (Vejo anoitecer, vejo amanhecer e não me sais do pensamento, oh! Mulher...), Alessandro (temos que fazer um choro pra ele chamado Endiabrado), Paulinho Timor (Alegria pra cantar a batucada), Edu (O samba que criei tão divino ficou agora sei quem sou), Cacá (Vejo em teus lábios riso...), André (queria ser pandeiro pra sentir o dia inteiro a tua mão na minha pele a batucar...), Cebolinha (Madrugada é a minha companheira...), Geraldinho (Abram alas que Gegê vai passar...), Júlio (Diferente o samba fica sem ter a triste cuíca...). Deixo um beijo grande pra o Miró, um dos mais emocionados com o rei Xangô.

Felipe e Luciano, responsáveis pelo som e iluminação, são os mais queridos técnicos que poderíamos ter. Talentosos, pacientes, corriam de lá pra cá e tudo realmente deu certo. Luciano, inclusive, até nos disse que a árvore que nos abrigava chama-se quaresmeira. E então ouvimos da Beth Carvalho: "- Não é uma tamarineira mas sempre tem uma árvore abrigando o samba". E que seja madeira de lei! Salve o samba que é nossa raiz, herança e viver.
Railídia Carvalho Szegeri
4 de Novembro de 2003 #

Gente,

Acho mesmo que foi uma beleza. Sou suspeito pra falar da roda, já que fazia parte dela, mas acho que conseguimos manter o samba no alto durante todo o tempo.
Talvez a principal marca da festa tenha sido o fato de que todo o mundo do samba em SP estava lá. Fiquei muito feliz, em especial, com a presença do Chico Aguiar e do Ney Silva, que comandam as duas rodas de samba que mantém há tantos anos o samba vivo em SP.
Foi um prazer participar, mesmo que de forma parcial, da organização de um evento como esse. Mas é preciso dizer, para que se faça justiça, que os grandes responsáveis pela festa são o Fernando Szegeri, que montou as coisas, e a Tininha da UNE que garantiu que tudo acontecesse.

Toda a sexta-feira, alí mesmo no espaço CUCA da UNE, tem a roda de samba com o grupo Inimigos do Batente, que foi a roda base do samba da festa. Todos estão convidados a frequentá-la.
Não poderia também deixar de agradecer as palavras tão generosas do pessoal que escreveu sobre a festa.

abraços a todos,

Julio Vellozo ( Inimigos do Batente)
Julio Vellozo
4 de Novembro de 2003 #

Já disseram quase tudo sobre a festa, que foi realmente inesquecível. Mas como ninguém ainda falou sobre o bolo, falo eu para que fique registrado: foi o melhor bolo de aniversário que já comi em toda minha vida! Parabéns para a boleira recomendada pela Railídia (não sei o nome dela). E acho que não fui só eu que adorei, ouvi várias pessoas dizendo o mesmo, que era o melhor bolo que já haviam provado.
Christiane de Assis Pacheco
4 de Novembro de 2003 #

Quando o Fernando falou com a gente sobre o aniversário da Agenda, confesso que fiquei meio ressabiado. Acontece que eu não sou exatamente o que pode se chamar de "amante do samba". Não conheço muitos compositores, não sei um monte de sambas de cor, não tenho muita ginga no pé. Tenho uma imensa paixão pela cultura popular, mas minha ligação é maior com maracatu, côco e afins. Mas a gente já fazia a roda de samba às sextas mesmo, decidimos seguir em frente.

Com o tempo, a empolgação do Fernando foi contagiando a gente. Organizar a festa passou a ser uma coisa alegre e leve. Acho que isso acabou se refletindo no dia do evento. Muita gente já comentou sobre isso e não preciso ficar repetindo.

Tenho só que dizer uma coisa a mais. É que eu nunca tinha compreendtido realmente o que é uma roda de samba até o dia da festa, a vibração, a força que emana das pessoas, o sentimento de pertencimento de uma coisa que é viva dentro das pessoas. Acho que a roda de samba é uma experiência de comunidade vivida na prática.

Parabéns pela festa. O Espaço CUCA da UNE está aberto pra vocês sempre que quiserem.

Um abraço do mais novo amante do samba!


Ernesto Valença (coordenador do CUCA da UNE)
Ernesto Valença
4 de Novembro de 2003 #

Pessoal da Agenda,

Sem dúvida, essa foi a maior Roda de Samba que já presenciei em toda minha vida, foi emoção demais ver tão de perto, ídolos como Beth Carvalho, Luiz Carlos da Villa e Xangô da Mangueira, pessoas a quem sempre fui um admirador. Como a Beth Carvalho mesma disse, sempre tem uma árvore abrigando o samba, não era uma Tamarineira, mas estava rodeada de Bambas em volta, um abraço ao pessoal do Samba da Vela, que também marcou presença mostrando, aos amigos Fábio(Baixaria), Júnior que junto comigo prestigiaram um momento inesquecível.
Valeu pessoal da Agenda, esperamos juntos poder escutar toda sexta-feira, no espaço CUCA, sambas da melhor qualidade.

Abraços
José Marques de Lima Junior
4 de Novembro de 2003 #

Não posso deixar de escrever em público o que temos comentado em particular. O Alessandro Penezzi é um monstro. Ele tocou cavaquinho e violão desde o início da festa até o último momento. Acho que não levantou nem para ir ao banheiro. No final estava com os dedos roxos. Eu já o tinha visto tocar "quebrando tudo" com o Yamandú e em rodas de choro, mas nunca o tinha ouvido em uma roda de samba bem tradicional. O cara arrebentou. Na volta para o Rio Tantinho e Xangô eram só elogios aquele violonista que nunca tinham visto. Um músico fora de série.
Paulo Eduardo Neves
4 de Novembro de 2003 #

A emoção esteve presente todo tempo. Foi uma grande união em torno do samba. Em torno da alegria. Em torno do Xangô! Como o Alessandro e o Fernando, em alguns momentos não contive as lágrimas.
Parabéns a todos que articularam esse grande encontro.
maria josé martins arruda
4 de Novembro de 2003 #

Ufa !!!
Ao ler todas as mensagens acima, fiquei imaginando como estaria me sentindo, se eu não tivesse ido à esta festa.
Graças a Deus estive presente e pude curtir todos os momentos, muito bem descritos, pelos comentários anteriores. Tive a oportunidade de encontrar velhos amigos e, também, de conhecer outros, os virtuais, como foi o caso do Paulo Eduardo Neves, grande figura, responsável por este belíssimo trabalho em prol do nosso samba.
Quanto a festa, acho que elogio nunca é demais, portanto parabéns a todos os envolvidos com o evento, foi perfeito.
Quanto as participações, já falaram de quase todos, faltou apenas comentar a canja do nosso amigo Wilson Sucena, que como diz o grande Nei Silva, onde ele estiver a chama do samba jamais se apagará.
Abraços a todos !!!
Sérgio Del Papa
5 de Novembro de 2003 #

Foi uma festa extraordinária, espero que o oitavo aniversário em SP no próxima ano seja melhor ainda. Infelizmente não deu pra ficar até o fim, mas aproveitamos ao máximo o tempo que estivemos lá. Foi um prazer conhecer o Paulo e a Christiane!

Comentei sobre a festa no Sovaco de Cobra, com links para cá e para o álbum de fotos.

Abraços!
José Carlos Cipriano
5 de Novembro de 2003 #

Parabéns , Roberta! Sei que deve ter BATALHADO muito por essa festa , porque já a conheço o suficiente.
Parabéns a todos os outros organizadores também , embora não os conheça.
Saibam que espero MUITO a terça e a sexta-feira para me DELICIAR com as notícias.
Que DEUS abençõe a TODOS.
Falem comigo!
Mazé - Sorocaba
Maria José Ribeiro Tavares Muraro
5 de Novembro de 2003 #

Assino em embaixo de tudo que já disseram a respeito da festa maravilhosa que pudemos compartilhar. Parabéns Paulo Eduardo, Roberta Valente, Fernando, Railídia, Eugênia e todos os demais organizadores( abro este parentesis para saudar meu amigo Alexandro Penezzi.Que energia garoto!). Foi como estar no quintal de casa. Bacana, bacana mesmo. São astrais assim que precisam ser repetidos sempre.
Desejo a esta turma incansável da Agenda que a nova festa no Rio seja tão e mais maravilhosa. Obrigada pelo carinho e muito sucesso e alegria a todos.
Carmen Queiroz
Carmen Queiroz
5 de Novembro de 2003 #

A festa da Agenda em São Paulo foi mágica. Como a camará tribuneira Iara Teixeira - que presenteou nossos olhos com suas ilustrações que só faltam sambar no papel do seu livro História da Música Brasileira para Crianças - disse: "tava chovendo mas a chuva não molhava a gente...". Tinha moça nova, tinha as balzacas como eu, tinha moço novo e moço maduro, uma gente alegre e dançante. Quando Xangô da Mangueira entrou, elegantérrimo em seu terno branco e pedindo licença pra entrar na roda como quem entra em toque de candomblé, um cara atrás de mim,já em adiantado estado de combustão etílica gritava emocionado: "isso é Brasil!". É, e um Brasil que não se envergonha de ser preto e, de um jeito mandingueiro, tira o maior sarro da cara de branco racista. Nadinho da Ilha já chegou anunciando: "Aqui tem 1 metro e oitenta e um de crioulo!". E mandou muito bem o partido alto: "Você me chama de preto/ Mas eu não fui sempre assim/ Dei uma bitoca na nega/ E a cor dela pegou em mim"; "Você me chama de preto/ Mas eu me consolo/ Eu vejo um monte de branca/ Com filho preto no colo".
Foi uma alegria só encontrar na real os camarás tribuneiros virtuais: Iara, Rachel, Áurea, Fernando Toledo, Carlos Mauro, Daniel Brazil, Paulo Eduardo, Cris,Robertinha Valente, Fernando (ih! sorry se esqueci de alguém que a festa tava lotadaça!). Parabéns pro pesoal que carregou o piano pra que a festa acontecesse aqui em Sampa e como aconteceu!!!
beijos, Letícia
Letícia Reis
6 de Novembro de 2003 #

Letícia, bela mensagem. Mas eu só queria dizer é que o nome Xangô é só um apelido. Ele é budista há mais de 15 anos.
Paulo Eduardo Neves
6 de Novembro de 2003 #

Mariana, li o seu comentario na segunda-feira apos a festa da Agenda aqui no Rio. Voce não imagina o quanto fiquei emocionada. Talvez pelo fato de ainda estar morta de cansada e a ressaca de tanto beber quanto cantar ou por termos em comum o fato de ser tambem extremamente critica e se não gosto coitado do santo sofre mas quando acontece o contrario noticio aos quatro cantos. Desde a primeira festa que fui (a de 5 anos da revista) que fico aguardando ansiosa a proxima e o que mais me deixa feliz é o fato do evento ficar sempre muito alem da nossa expectativa. Que nossa agenda nos de essa satisfação por muitos e muitos anos.

Sylvia Palhares
SYLVIA PALHARES MARINHO
10 de Novembro de 2003 #

Obrigada Aurélio, Railídia (que como sempre estava radiante!), Maria José (Mazé), Letícia, Fernando. Só quero dizer que, apesar de eu ter sido cúmplice, o grande responsável por esta festa foi o Fernando! Que empenho, que organização, que festa impecável. Parabéns, Fer, publicamente, agora. E, claro, tudo por causa do Paulo ;-) e da Chris, que são maravilhosos. Obrigada novamente!
Roberta Cunha Valente
16 de Novembro de 2003 #

Odiei entrar aqui
Achei muito brega e cafona
FALO!!!!
ESPERO NUNCA +ENTRAR
lucas
20 de Novembro de 2003 #

Em primeiro lugar agradeço a todos que tornaram esta roda realidade, pois este dia foi realmente fantástico. Meu amigo ,o Gustavo, um marmanjo de 87 kg ficou com lágrimas nos olhos quando viu a Beth tão de perto.
Outros figurões como o Xangô da mangueira me fizeram chorar também. O próprio Luiz amigo meu acostumado a freqüentas as mais badaladas rodas se emocionou e pediu bis.
Já o Fernando, um conceituado jornalista, não encontrou palavras para definir tamanha satisfação.

Valeu a todos e a todas (principalmente àquela cachacinha de minas por 1,50)
Ney Arantes
29 de Novembro de 2003 #

Índice
Manchetes de Novembro de 2003

Próxima >>
Agenda do Samba & Choro celebra seu aniversário domingo na Gamboa


» Envie esta notícia para um amigo

» Imprima esta notícia


Notícias | Casas com música | Artistas | Tribuna Livre | Artigos e debates | Fotos | Partituras | Compras | Amigos do Samba-Choro | Busca

Receba notícias sobre samba e choro por email:

Contato | Privacidade | Sobre este sítio
©Copyright 1996-2014
Samba & Choro Serviços Interativos LTDA
(Todos os direitos reservados).