Agenda do Samba & Choro

Zé Luiz Mazziotti

Google
Web samba-choro.com.br
 Página principal » Artistas

ZÉ LUIZ MAZZIOTTI



Começa sua carreira em 1966, cantando no grupo vocal "Canto4", com a música "São São Paulo meu amor", de Tomzé, que ganha o primeiro prêmio do Festival da TV Record de São Paulo.

Aluno de Vera Brasil, que lhe abre as portas da noite paulista, ZÉ LUIZ MAZZIOTTI começa sua carreira solo no "Canto Terzo", ao lado de Elodi - violonista e compositora - mostrando o melhor da MPB e fazendo a primeira parte do show de Johnny Alf. A partir daí, trabalha no Jogral, Igrejinha, Casa Forte, Flag e em todas as casas onde se fazia a "boa música popular dos anos 70".

Em 1974, lança a música "Até quem sabe", composição de João Donato e Lysias Ênio, com arranjo de César Camargo Mariano.

Em 1976 é convidado por Ivan Lins para interpretar a música "Dona Benta" da série "O Sítio do Pica-pau Amarelo" da TV Globo e também para fazer parte da equipe da Zurana, produtora de jingles, que conta com nomes como o próprio Ivan Lins, Djavan, Marcos e Paulo Sérgio Valle, Tavito, Eduardo Souto Neto entre outros.

Instalado definitivamente no Rio de Janeiro, participa do "Projeto Pixinguinha" apresentando-se em várias cidades e capitais do Brasil, ao lado de nomes como Elizeth Cardoso, Ângela Maria, Zezé Gonzaga, Miltinho, Jamelão e Silvio César. Apresenta-se também na Sala Funarte, ao lado de Alaíde Costa, Antônio Adolfo e Luiz Eça e em 1979 grava seu primeiro Lp pela gravadora Continental, produzido por Cesare Benvenuti e com arranjos de Dori Caymmi e Gilson Peranzzetta e participação especial de Nana Caymmi.

Em 1981 grava, com seu selo independente, o segundo Lp chamado "Sinais". Com este trabalho, ganha o prêmio "Chiquinha Gonzaga", como uma das dez produções mais bem cuidadas do ano.

Em 1982 é convidado por Gal Costa para gravar junto com ela a música de Vítor Ramil "Estrela, estrela", faixa do Lp Fantasia.

Em 1984 grava seu terceiro LP, pela gravadora Pointer, tendo Nana Caymmi na produção musical.

Em 1985 produz o Lp de Pedro Paulo Castro Neves e Michel Legrand, com arranjos do próprio Legrand. Neste mesmo ano, vai para a Europa divulgar seu disco e escolhe a França para fixar residência. Instalado em Paris, apresenta-se em várias casas noturnas onde, visto por organizadores de festivais de jazz, é logo convidado a participar do "Printemps de Bourges" e do "Festival de Jazz de Nice", entre outros, ao lado de Miles Davis, George Benson, Djavan, Gilberto Gil e Count Basie Orquestra.

Numa de suas vindas ao Brasil, em 1992 participa do "Novo Festival da MPB" da TV Record, onde ganha o prêmio de melhor intérprete, em 1993 do show "Quando o amor acontece", no SESC Pompéia, ao lado de Ana Lúcia e Márcia e, em 1994 resolve voltar definitivamente para nosso país, pois sua vontade é de cantar no Brasil para os brasileiros.

Em 1995 ele produz o disco “Iluminuras” para a gravadora Velas e “Cauby canta Sinatra” para a Som Livre, e lança seu novo disco “JOSÉ LUIZ MAZZIOTTI” pelo selo “PERFIL”, produzido por Leni Andrade, com canções de Chico Buarque, Tom Jobim, Paulinho da Viola, Tito Madi, Rosa Passos, Aldir Blanc entre outros e encerra o ano participando do show “Feliz Bossa Nova” ao lado de Leny Andrade, Roberto Menescal, Wanda Sá e Miéle.

Em 1996 viaja com o show de lançamento de seu disco e faz diversas participações em discos tais como o Songbook de Tom Jobim, Songbook de Noel Rosa, no novo disco de Gilson Peranzzetta entre outros.

Em 1997 produz o disco de Eduardo Conde, com obras somente de Sueli Costa e participa do show “Stravaganza”, dirigido por Abelardo Figueiredo ao lado de Célia e Eduardo Conde.

Em 1998 estréia o show “AME” ao lado de Célia. Fazem o show durante três meses no Espaço Vinícius de Moraes, bar anexo ao Tom Brasil, no Teatro São Pedro durante três semanas, inauguraram o espaço para shows no Bar Vou Vivendo, e voltam para o Teatro São Pedro até dezembro.
Em 1999 participa do show “Aldir Blanc, um cara bacana”, ao lado de Cláudio Tovar, Lucinha Lins, Cláudio Lins entre outros, e a partir de outubro se apresenta todos os fins-de-semana no Passatempo ao lado de Célia.

Em 2000 se apresenta ao lado de Fátima Guedes, Roberto Menescal, Arismar do Espirito Santo, Rosa Passos, Maria Martha, e atualmente lança um disco com Célia, “Pra fugir da saudade” pela gravadora JAM, sobre a obra de Paulinho da Viola, e ainda um outro disco ao lado de Alaíde Costa e Zezé Gonzaga sobre a obra de Hermínio Bello de Carvalho.

Dono de uma voz excepcional, de timbre grave, quente, melodiosa e apaixonada, perfeita para o excelente repertório, em que se misturam suas composições e o melhor da música popular brasileira de todos os tempos.

ZÉ LUIZ MAZZIOTTI é o cantor preferido dos músicos da nossa melhor MPB.



Notícias | Casas com música | Artistas | Tribuna Livre | Artigos e debates | Fotos | Partituras | Compras | Amigos do Samba-Choro | Busca


Contato | Privacidade | Sobre este sítio
©Copyright 1996-2017
Samba & Choro Serviços Interativos LTDA
(Todos os direitos reservados).