Agenda do Samba & Choro

Marko andrade

Google
Web samba-choro.com.br
 Página principal » Artistas

Compositor. Cantor. Produtor Cultural.
Tornou-se músico por influência do pai que tocava violão.
Em 1975 estudou Teoria Musical no Conservatório Carminha Alonso.
Entre 1982 e 1984, fazendo parte desse grupo Panela de Pressão, participou da direção do teatro Armando Gonzaga, no subúrbio carioca de Marechal Hermes.
No ano de 1985, estudou teoria e violão com o maestro Joaquim Fragelli. Dois anos depois, fez o curso de formação em violão pelo Instituto Brasileiro de Música.
Em 1996, com Tim Rescala, fez o curso de música para teatro. Neste mesmo ano, estudou Arranjo com Turíbio Santos na escola de música Ian Guest.
Foi Coordenador da Animação Cultural da Secretaria de Estado do Rio de Janeiro.
Trabalhou como Coordenador de Difusão Cultural da Superintendência de Projetos Especiais da SEE do RJ.
Na década de 1990, trabalhou como produtor cultural, ao lado de Celso Mattos, da Orquestra e Coral da Petrobras. Por essa época, organizou a "Festa do Interior", na Lapa, para a Secretaria de Estado de Educação da Cidade do Rio de Janeiro.

Em 1978, teve a sua primeira música gravada, "Cidade moderna" em parceria com Euclides Amaral, interpretada por Jorge de Souza, para o Selo J.P.Leal Discos. O compacto duplo, do qual participou tocando violão e fazendo arranjo para a faixa de sua autoria (faixa produzida por Euclides Amaral), compilou as quatro finalistas do primeiro "Festival da Canção do Clube Militar", realizado em maio do mesmo ano. Ainda em 1978 fez a direção musical e compôs com Euclides Amaral (letras), as músicas para a peça "Retrato de Mulheres", de Márcia Eliza e Jorge Guedes, que percorreu vários teatros do Rio de Janeiro e São Paulo.
No ano de 1981, ingressou no grupo Panela de Pressão, que reunia músicos, poetas, letristas, atores e teatrólogos. Por essa época, fez a direção musical e musicou várias peças, entre elas, "Retalhos", de Kalu Albuquerque e "Brincadeiras", de Raimundo Mattos Leão, com direção de Sidney Cruz.
No ano de 1982, ao lado de Carlos Sapato, Sidney Cruz, Euclides Amaral e Osmar do Breque (Bicheiro), escreveu textos, compôs a trilha sonora e participou como ator do musical "Vivências - ou Bar Brasil", fazendo temporada no teatro do Sesc de Madureira e no teatro Cacilda Becker. No ano seguinte, integrou o elenco e fez a diração musical dos musicais "Labirinto das Águas" e "Drummondiando", ambos com o grupo Panela de Pressão e apresentados em vários espaços da cidade do Rio de Janeiro.
Em 1999 participou do CD "Conexão carioca", do Selo Peixe Vivo, interpretando "Cidade" (c/ Sérgio Lupper). O disco, produzido por Euclides Amaral e Paulo Renato contou com a apresentação de Ricardo Cravo Albin. Neste mesmo disco a cantora Ceiça interpretou "Lua comparsa", (c/ Rubens Cardoso e Euclides Amaral) e Alexandra Piloto cantou "Noite" (c/ Délson Júnior, Henrique Silva e Sidney Cruz).
No ano 2000, Euclides Amaral produziu para o selo Guitarra Brasileira o CD "Conexão carioca 2", no qual participou interpretando as músicas "Aldeia", de sua autoria e "Estratégia do lobo" em parceria com o poeta R. R. Juca.
Em 2001, juntamente com Euclides Amaral, produziu "Aldeias urbanas", o primeiro disco solo, lançado pelo selo Guitarra Brasileira, no qual incluiu "Aos trancos e barrancos" (Jorge Dangó e Jênesis Genúncio) com participação especial de Jorge Dangó e outras composições de sua autoria como "Navegante das estrelas" e "Velas". O disco contou com arranjos de Carlinhos Trumpete e Gilson Mendonça, sendo lançado em abril deste mesmo ano na Casa do Tá Na Rua, espaço cultural de Amir Haddad, na Lapa, centro do Rio de Janeiro. O show teve direção e roteiro de Euclides Amaral e a participação especial de Carlos Dafé. Neste mesmo ano, apresentou-se no programa de TV "A Cara do Rio". Participou do show "2ª Noite da Musicalidade Negra" com Darci do Jongo, Banda do Véio, Luiz Carlos Batera e Carlinhos Trumpete, entre outros.
Em 2002, ao lado de Carlos Dafé, Eliane Faria, Lúcio Sherman, Rubens Cardoso, Cláudio e Cristina Latini, Pecê Ribeiro, entre outros, participou do disco "Conexão carioca 3", produzido por Euclides Amaral. Neste CD, com apresentação do poeta e letrista Sergio Natureza, interpretou "Ritual da zabumba" (c/ R. R. Juca) e "Noturnamente" (c/ Euclides Amaral). Também foram incluídas de sua autoria "Quero que você me leve" (c/ Rubens Cardoso e Euclides Amaral) interpretada por Rubens Cardoso, Ceiça e Euclides Amaral, "Feito semente" (c/ Euclides Amaral e Cacaso), interpretada pela cantora Edir Silva e ainda, "Moinhos de vento" (c/ Euclides Amaral e Xico Chaves) com Martha Loureiro. Neste mesmo ano, apadrinhado por Gérson King Combo, apresentou no Espaço Sesc Copacabana o show "A noite da música negra carioca" com Lúcio Sherman. O show fez parte do "Projeto Novo Canto" e contou com roteiro e direção de Euclides Amaral e direção geral de Sergio Natureza.
Em 2003 no CD "Quem são os novos da MPB?", coletânea produzida por Lúcio Sherman, foi incluída de sua autoria "Quero que você me leve" interpretada por Rubens Cardoso, Ceiça e Euclides Amaral. Neste mesmo ano, o selo Peixe Vivo relançou o disco "Conexão carioca 3", no qual foram incluídas quatro faixas-bônus. Ainda em 2003, com Zezé Motta, participou do "Projeto Conexão Solidária", apresentado no Teatro do Sesc da Tijuca, no Rio de Janeiro e, ao lado de Carlos Dafé, Gérson King Combo, Rose Ventura, Lúcio Sherman, Euclides Amaral e Luzia Motta, entre outros, participou do lançamento do CD "Quem são os novos da MPB" no Centro Cultural Carioca da Gema, no Rio de Janeiro. Participou de vários shows, entre eles "Carlos Dafé Convida", no Teatro Rival BR, no qual atuou ao lado de Preta Gil, Sandra de Sá, Gérson King Combo, Lúcio Sherman, Conjunto Copa 7 e Tinho Martins, entre outros.
Em 2005 Rubens Cardoso incluiu "Lua comparsa" no disco "As tribos". Neste mesmo ano lançou o CD "AldeiAfroTupi" no qual incluiu de sua autoria "Batuque" e "Inverta", ambas em parceria com Paulo de Medeiros; "Carta pro Mestre Darci da Serrinha" (c/ Luiz Pedro de Oliveira), faixa na qual contou com a participação especial de Carlos Dafé; "Febre da saudade" (c/ Aljor); "Lágrimas de Deus" (c/ Augusto Bapt); "Menino" (c/ Lupper e Luiz Pedro de Oliveira); "Reparações já" (c/ Luiz Carlos Batera e Zé Maria); "Comunhão" e "Noturnamente", ambas com Euclides Amaral; "Quero que você me leve" e ainda "Embalagens", somente de sua autoria. No CD também foi incluída a faixa-bônus "Dance tudo" (c/ Aljor), na qual contou com a participação especial de Carlinhos Trumpete.

DISCOGRAFIA:

1999 - Conexão carioca (vários)- Selo Peixe Vivo Produções, CD
2000 - Conexão carioca (vários) - Selo Guitarra Brasileira, CD
2000 - Conexão carioca 2 (vários) - Guitarra Brasileira, CD
2001 - Aldeias urbanas - Selo Guitarra Brasileira, CD
2002 - Conexão carioca 3 (vários) - Selo BigVal Produções, CD
2003 - Conexão carioca 3 - Bônus - (vários) - Selo Peixe Vivo Produções, CD
2005 - AldeiAfroTupi - Selo Carpintaria de Idéias, CD


Notícias | Casas com música | Artistas | Tribuna Livre | Artigos e debates | Fotos | Partituras | Compras | Amigos do Samba-Choro | Busca


Contato | Privacidade | Sobre este sítio
©Copyright 1996-2017
Samba & Choro Serviços Interativos LTDA
(Todos os direitos reservados).