Agenda do Samba & Choro

Luiz Vieira

Google
Web samba-choro.com.br
 Página principal » Artistas

Para as gerações mais novas a obra suplantou o autor, e "Prelúdio Para Ninar Gente Grande", ou melhor, "Menino Passarinho", foi como a canção e o artista ficaram conhecidos pelo Brasil afora. Aliás, títulos são o que não falta para Luiz Rattes Vieira Filho, LUIZ VIEIRA, que após perder a mãe, foi criado pelo avô, em Alcântara, distrito de São Gonçalo, no Rio de Janeiro.

Sua veia artística despontou cedo, talvez por influência de sua mãe, uma transmontana que participava de cerimônias religiosas em igrejas como cantora lírica. Seu pai, um jornalista e advogado, queria que Luiz seguisse seu ofício. Ele então formou-se em Direito, mas nunca exerceu a profissão.

Com apenas oito anos ele rabiscou a primeira canção. Mas talento não foi o único ingrediente para se projetar no mundo da música. Foi preciso muita insistência para conseguir sua primeira oportunidade no rádio. Teimoso, ele se inscrevia em todos os programas de calouros. Todos os dias, durante quase um ano, Luiz enfrentava a estrada, num trajeto de três horas entre as cidades de Alcântara e do Rio de Janeiro, vislumbrando uma chance de cantar no programa do Zé do Norte. Graças à sua persistência, sua vez acabou chegando. Uma greve dos cantores contratados pelo programa levou a produção ao desespero. E lá estava o perseverante Luiz, que, desde então, passou a fazer parte da equipe.

Estar no lugar certo na hora certa era, felizmente, sua sina, lhe dando a chance de ser um dos astros da noite na Lapa: no cabaré Novo México, mais uma vez o cantor da noite faltou, e mais uma vez lá estava Luiz para substituí-lo. Daí para a frente, já reconhecido como cantor, circulou no meio de ilustres figuras do samba como Ataulfo Alves, Wilson Batista e Geraldo Pereira. Entre os anos 40 e 50, circulou em noitadas nos cabarés da Lapa, no Rio de Janeiro, e nos programas "Manhãs na Roça", com Zé do Norte, na Rádio Clube do Brasil, "Salve o Baião", na Rádio Tamoio e "Espetáculos Tonelux", na TV Tupi.

Sem estilo definido para cantar ou compor, suas músicas acabavam virando moda. Foi assim com músicas, como a toada, no seu primeiro sucesso, "Menino de Braçanã", em 53, com a guarânia, na "Guarânia da Lua Nova", com o xote "Estrada de Columbandê" (gravado inicialmente por Ivon Cury), e com o prelúdio, no seu maior sucesso, "Prelúdio Para Ninar Gente Grande", em 63. Luiz Vieira foi preso e advertido diversas vezes, após denunciar em seus poemas a seca do Nordeste. Ele se valia do programa Espetáculos Tonelux, onde conversava com a vedete Virgínia Lane, para abrir o verbo. "Momentos de comunicação difícil", sintetiza Luiz, que também não escapou ileso da ditadura. Seu apartamento foi vasculhado e seus objetos totalmente revirados. "Enquanto alguns foram para Paris, fui para as grotas do País", hoje graceja. Em sua carreira, ele abusou da improvisação. Com mais de 500 músicas editadas e gravadas por ele e por dezenas de outros intérpretes, como: Lúcio Alves, Carmélia Alves, Moacyr Franco, Agnaldo Rayol, Hebe Camargo, Caetano Veloso, Zizi Possi, Fagner, Sérgio Reis, Rita Lee, Agnaldo Timóteo, Maria Betânia, Elba Ramalho, entre outros, Luiz está completando este ano 55 anos de carreira.

Também atendendo pelo codinome de "Príncipe do Baião", ou "Advogado do Nordeste", o "Menino Passarinho" ainda planeja altos vôos e encanta-se com os desafios. O verbo parar ainda não faz mesmo parte de seu repertório. Há 18 anos, Luiz comanda um programa diário de 6 às 9 horas, primeiro na Radio Nacional e há 5 anos, na Rádio Rio de Janeiro AM - 1400 KHz, chamado "Minha Terra, Nossa Gente". Segundo ele, o mais ousado desafio de sua carreira foi levantar a audiência da emissora, que atualmente ocupa a 5a colocação no ranking do IBOPE, sendo o programa líder de audiência dentro da programação desta.

Visite o site: www.luizvieira.com.br


Ideologia
"Você é isso, uma beleza imensa, toda a recompensa de um amor sem fim. Você é isso, uma nuvem calma, no céu de minh'alma, é ternura em mim."
Paz do Meu Amor - Luiz Vieira

"Quando estou nos braços teus, sinto o mundo bocejar, quando estais nos braços meus, sinto a vida descansar."
Prelúdio Pra Ninar Gente Grande - Luiz Vieira

"Quem anda com Deus não tem medo de assombração e eu ando com Jesus Cristo no meu coração."
Menino de Braçanã - Luiz Vieira

Contato:

Eurídice
E-mail: euridice.lv@uol.com.br


Notícias | Casas com música | Artistas | Tribuna Livre | Artigos e debates | Fotos | Partituras | Compras | Amigos do Samba-Choro | Busca


Contato | Privacidade | Sobre este sítio
©Copyright 1996-2017
Samba & Choro Serviços Interativos LTDA
(Todos os direitos reservados).