Agenda do Samba & Choro

Giana viscardi

Google
Web samba-choro.com.br
 Página principal » Artistas

GIANA VISCARDI

Experiência internacional, raízes no Brasil

Paulistana de 31 anos, a cantora e compositora Giana Viscardi tem já uma carreira internacional consistente e diversificada, marcada por apresentações em Boston, Nova York, Munique, Viena, Tóquio, Bangcok. Depois de se revelar no álbum “Tinge”, gravado em Boston em 2001, a cantora e compositora paulistana Giana Viscardi lançou recentemente o seu segundo CD independente, o 4 3 2 1, recebido com entusiasmo por gente como os músicos como Chico César e Arnaldo Antunes, além do compositor e produtor Nelson Motta que não poupa elogios às canções compostas por Giana e seu parceiro, o violonista austríaco Michael Ruzitschka. “Entre os novos compositores que estão trabalhando uma nova MPB uma das melhores revelações é a dupla formada pela paulista Giana Viscardi e o austríaco Michael Ruzitschka, que se conheceram na Berklee School of Music e produziram o disco 4321, que tem pelo menos 4 ou 5 ótimas músicas, o que é sensacional, raríssimo em novos compositores. Jazz, pop e música brasileira de primeira com o excelente guitarrista Michael Ruzitschka e o charme e a bossa da cantora Giana Viscardi.”

Inspirado na mais rica tradição da MPB, o trabalho é recheado de influências jazzísticas e mostra canções essencialmente acústicas. Com exceção de “Vem Morena”, clássico de Luiz Gonzaga, todas as faixas são assinadas por ela. Além de "Deslumbrada Lua", que Giana compôs com o cantor e compositor Chico César, o repertório inclui oito canções em parceria com o violinista austríaco Michael Ruzitschka, produtor musical do trabalho. Entre as participações especiais estão a das cantoras Mariana Aydar e Céu, do percussionista Armando Marçal.
O CD ganhou nova versão e foi lançado no Japão pelo selo Rambling Records, com três faixas bonus – a inédita “Sabores” de Giana e Michael, uma versão em espanhol, remixada, de “Colorida” e um remix eletrônico da canção que dá nome ao disco, “4 3 2 1”.


PERFIL


Giana Viscardi interessou-se cedo por música e desde criança cultivava a idéia de ser cantora. "Cresci ouvindo samba e bossa nova", diz ela. A primeira música que aprendeu, gravada em seu primeiro disco, já indicava o caminho que veio a seguir: o clássico samba "Rosa Morena", de Dorival Caymmi, inspirada na versão bossanovista de João Gilberto.
Mais tarde, estudou no CLAM, escola de música do Zimbo Trio, em São Paulo. Precocemente, aventurou-se na composição. O hábito de escrever surgiu na adolescência e rendeu até hoje centenas de poemas e letras de canções, inspiradas em poetas e letristas como Fernando Pessoa, Drummond, Chico Buarque, e Gilberto Gil e Arnaldo Antunes.
Finalmente em 1999, incentivada por Tom Zé, com quem participou do Circuito Universitário de Música, decidiu-se pela carreira musical. Deixou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e foi para os Estados Unidos cursar a Berklee College of Music em Boston – celeiro de talentos musicais espalhados por todos os continentes. Lá conheceu Michael Ruzitschka, um violonista austríaco apaixonado por Baden Powell e por Bossa Nova em geral. A parceria entre os dois surgiu aos poucos e gerou canções e canções – muitas delas ainda inéditas. Outras foram gravadas por novas intérpretes, como as brasileiras Mariana Aydar e Ana Paula Lopes, e a alemã Sophie Wegener.
Além de dividir o palco com nomes de expressão na cena do jazz norte-americano, como Jerry Bergonzi, George Garzone e Bill Pierce, Giana já fez sete turnês pela Europa (de 2001 a 2006) incluindo apresentações no Festival de Montreux, e duas temporadas na Tailândia e no Japão (2005 e 2006). Ao voltar a São Paulo em 2003, Giana foi premiada pelo Rumos Musical com a participação de uma coletânea e a gravação de DVD ao vivo no palco do Itaú Cultural - São Paulo.
Neste ano, além de ganhar o primeiro prêmio no Festival da canção da cidade de Ribeirão Preto, participou dos programas de televisão Jô Onze e Meia (TV GLOBO) e o Bem Brasil (TV Cultura), apresentou-se no show em homenagem à Bossa Nova “Era Iluminda“, cantando ao lado de João Donato, Roberto Menescal, Joyce, Rosa Passos e Miúcha e no México, no tradicional festival de música Feria de San Marco do qual também participaram Milton Nascimento, Gal Costa e Daniela Mercury.




www.gianaviscardi.com.br


CLIPPINGS

“Entre os novos compositores que estão trabalhando uma nova MPB uma das melhores revelações é a dupla formada pela paulista Giana Viscardi e o austríaco Michael Ruzitschka.“
NELSON MOTTA, Radio Sintonia Fina, Rio de Janeiro, 2007

“Giana Viscardi põe mais molho em receita para sambar“
“Em 4321, Giana dá banho se suíngue, com capacidade de improviso jazzístico, toques daquela graça jovial que provoca sorrisos de satisfação no ouvinte, dominando a divisão do samba como poucas em sua geração.“
“Ruzitschka toca sambas com uma levada que nada fica a dever a muito bambambã brazuca.“
LAURO LISBOA, Estado de São Paulo, 2006

“Giana Viscardi revela bela voz“
“Um currículo musical invejável (...) uma promissora revelação(...)
uma voz deliciosa e afinadíssima, Giana Viscardi retornou ao Brasil pronta para acontecer.“
CARLOS CALADO, Folha de São Paulo, 2003

“Adorei outra cantora, a Giana Viscardi, uma italianinha de São Paulo, muito boa compositora, canta muito bem e é linda.“
NELSON MOTTA, revista Bravo!, 2007

“O disco 4321 é um marco na história da MPB“
MEGUMI E ZEZI, Revista MPB, Japão, 2006

“Giana é extremamente expressiva, uma intérprete generosa, com uma voz maravilhosa e uma comunicação charmosa com seus parceiros musicais e com a platéia.“
“A presença de palco de Giana é inesquecível“
GWENN, The Middlesex Beat, EUA, 2001

“A cantora de São Paulo conquistou a platéia com sua voz refinada e técnica acrobática, com seu charme inacreditável e sua alegria de viver“
Oberoesterreichische Nachrichten, Áustria, 2001



O QUE DIZEM


“Um destaque especial para a voz rítmica de Giana Viscardi. Seu disco, 4321, traz 11 canções inéditas de sua autoria, todas com muita ginga e sinuosidade rítmicas (...). Melodias bem sintonizadas com as letras, arranjos refinados(...) temos aí uma contribuição de ponta para o universo já tão rico de nossa música.”
LUIZ TATIT, São Paulo, 2007

“É de um vigor musical como o da cantora e compositora Giana Viscardi que a música popular brasileira deve se alimentar.“
CARLOS BOZZO JÚNIOR, São Paulo, 2007




“4 3 2 1”: no ar, o novo CD de Giana Viscardi

Depois de se revelar no elogiado álbum “Tinge”, gravado em Boston (EUA) em 2001, a cantora e compositora paulistana Giana Viscardi lança 4 3 2 1, seu segundo disco independente.
Inspirado na mais rica tradição da MPB, o trabalho é recheado de influências jazzísticas e mostra canções essencialmente acústicas. Com exceção de “Vem Morena”, clássico de Luiz Gonzaga, todas as faixas são assinadas por ela. Além de "Deslumbrada Lua", que Giana compôs com o cantor e compositor Chico César, o repertório inclui oito canções em parceria com o violonista austríaco Michael Ruzitschka, produtor musical do trabalho. Entre as participações especiais estão a da cantora Céu, do percussionista Armando Marçal e do violinista Ricardo Herz (finalista do Prêmio Visa 2004 na categoria Instrumental). As fotos e o design do encarte são do designer Rafic Farah. Em julho de 2006 o CD ganhaou uma nova versão e foi lançado no Japão com três faixas novas: a inédita “Sabores” de Giana e Michael, uma versão em espanhol remixada de “Colorida” e um remix eletrônico da canção que dá nome ao disco, “4 3 2 1”.


Notícias | Casas com música | Artistas | Tribuna Livre | Artigos e debates | Fotos | Partituras | Compras | Amigos do Samba-Choro | Busca


Contato | Privacidade | Sobre este sítio
©Copyright 1996-2017
Samba & Choro Serviços Interativos LTDA
(Todos os direitos reservados).