Agenda do Samba & Choro

Bira da vila

Google
Web samba-choro.com.br
 Página principal » Artistas

Ubirajara Silva de Souza, em arte “Bira da Vila São Luiz”, nasceu em 8 de janeiro, na rua Santo Antônio, no Bairro da Vila São Luiz em Duque de Caxias (RJ), fazendo parte de uma família tipicamente brasileira, qual seja, humilde e criativa, pobre e com grande potencial artístico. Seus avós maternos foram escravos até a adolescência. Seus avôs paternos eram uma índia e um sanfoneiro português. Esta miscigenação lhe deu como herança, pelo lado indígena, a garra para vencer obstáculos, pelo negro a determinação e a criatividade e pelo lado português o espírito aventureiro, desbravador e conquistador.
Bira têm na figura do pai, Seu Jair, o grande inspirador de sua carreira artística. Seu pai também conhecido como “Neblina”, têm um extenso e variado currículo, que vai desde sambista e passista da “Cartolinha de Caxias”, passando pela função de ritmista versador de partido alto até chegar à posição de goleiro do Vila São Luiz Futebol Clube. Com quase dois metros de altura com um andar gingado de malandro, Seu Jair foi a fonte de inspiração do primeiro samba de Bira , ainda com quatorze anos, “O Malandrinho” –1978.
Ele foi o mais jovem integrante da primeira roda de samba de Caxias (1979), que fazia ponto no bar do Zezinho, em frente ao Clube Recreativo Caxiense. E cantava músicas dos mestres Monarco, Beto sem Braço, Roberto Ribeiro, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Dona Yvone Lara, Candeia entre outros ícones do samba.
Por ter nascido na Vila São Luis, quando ingressou na Ala dos compositores da Grande Rio em 1986, já com 23 anos, foi batizado artisticamente de “Bira da Vila São Luis”. Coincidentemente tem em Luis Carlos da Vila, seu maior ídolo e também seu maior incentivador, nascendo desse reconhecimento de valor artístico recíproco, uma real amizade e parceria musical.
Sua carreira autoral se inicia em 1993, com a gravação do samba “Sorriso de Banjo” pela saudosa cantora “Jovelina Pérola Negra”. Em 1998, o “padrinho Luís Carlos da Vila o incentivou a mostrar seu trabalho de compositor e interprete”.
Finalmente em 19 de agosto de 1998, no Teatro da Praia em Copacabana (RJ), estréia o show “Nova Matriz”, com a casa lotada, onde cantou somente sambas de sua autoria. Este show foi sua porta de entrada para ser convidado pelos produtores da Riotur, Fernando Gama e Luizinho, que acreditaram no seu potencial artístico-musical e abriram espaço para inúmeras outras apresentações.
Sua maior emoção foi cantar no Arpoador, ao lado do próprio Luis Carlos da Vila e de bambas do samba como: Monarco, Wilson Moreira, Nelson Sargento, Walter Alfaiate e Wilson das Neves. Este foi seu passaporte para a elite do “samba-de-raiz”. Desde então passou a se apresentar todos os anos nos eventos da Riotur, no show do reivellon, no pré-carnavalesco, shows de carnaval do Terreirão do Samba, carnaval da Lapa, entre outros.
No final de 1999, produzido por Jaime Bahia, Bira faz um “disco demo” (Retratos do Povo), com músicas de sua autoria, para mostrar seu trabalho de compositor e intérprete. Ainda em 1999, apresentou-se no projeto Clássicos do Samba, com Wilson Moreira.
Em 2001 apresento-se novamente neste mesmo projeto com Serginho Miriti, com o qual compôs “O daqui, o dali e o de lá” e outros sambas. Em agosto do mesmo ano, foi convidado para uma homenagem à Raul de Barros, organizada pela revista Maricá Já, junto com Wilson Moreira, Walter Alfaiate, Delson Carvalho, entre outros.
E até Angola já se rendeu ao seu talento. Em 2002 em parceria com Riko Dôrileo, compôs uma música (tendo como tema a libertação de Angola) que até hoje é tocada nas 23 rádios oficiais de Angola, tendo alcançado à todas as classes sociais.
No de sete de dezembro de 2003, se apresentou no projeto Aquarela do Samba, junto com Ernesto Pires e Luis Carlos da Vila, na Lona Cultural de Guadalupe(RJ), tendo uma excelente performance, que culminou com a plena e calorosa ovação da platéia.
No dia quatro de abril de 2004, numa apresentação no Sacrilégio (famosa casa de shows do corredor cultural da Lapa – RJ), cantou somente sambas de sua autoria sendo novamente muito bem aceito pelo público.
Enfim, Bira tem se apresentado nas principais rodas de samba do Rio de Janeiro e São Paulo. E o público continua aguardando com grandes expectativas o lançamento de seu primeiro Cd.
Atualmente Bira (como percursionista) têm integrado a banda de Luis Carlos da Vila, que está lançando o disco Benza Deus. Gentilmente, Luis Carlos convidou Bira para dividir os versos do samba “Vem pra roda sambar”, parceria dos dois. Assim Luis Carlos tem uma contribuição muito importante na divulgação do nome e trabalho de Bira da Vila.
O mais recente projeto de Bira é o lançamento de seu primeiro e esperado disco “Canto da Baixada”, produzido Adelson Alves. Nesse disco Bira Procura resgatar a obra de autores da Baixada Fluminense de 1940 até os dias de hoje. Com tudo isso e muito mais Bira é um dos mais legítimos representantes da mais fina estirpe do samba-de-raiz carioca.

contatos Paulo Filho: (21)2270-2030
(21)9683-1752


Notícias | Casas com música | Artistas | Tribuna Livre | Artigos e debates | Fotos | Partituras | Compras | Amigos do Samba-Choro | Busca


Contato | Privacidade | Sobre este sítio
©Copyright 1996-2017
Samba & Choro Serviços Interativos LTDA
(Todos os direitos reservados).